Reflexão de uma quinta - feira com mais empatia

Colocar no lugar do outro, hoje em dia a pratica está cada vez mais difícil, o que vimos uma sociedade inserida de algumas pessoas preconceituosa que tem como finalidade julgar o próximo sem ao menos conhecer e saber de sua historia.

Ninguém da autoridade  para julgar o que vê. Frequentemente, as pessoas são julgadas pelas atitudes que tomam, sofrendo olhares de censura e comentários reprovadores de quem não conhece o que se passou de fato até que se chegasse àquela tomada de decisão. Quem dera se as pessoas conhecesse sua vida  antes de julgar. Estamos vivendo em um mundo de pessoas mesquinhas e julgadoras, pessoas que se dizem corretíssimas, mas pratica o preconceito e o julgamento ao próximo.

Quem fala o que pensa, quem arrisca uma outra faculdade, quem larga o emprego e segue uma outra profissão. São inúmeros  exemplos de comportamentos que acabam sendo alvo da maldade alheia, alvo do veneno de quem não consegue enxergar a si próprio, pessoas medrosas que não tem coragem de arriscar- se na vida, difamando quem a tem.É mais facil denegrindo o outro,  que se esforçar para mudar a sua vida. Como podem emitir juízos de valor baseados somente no conhecimento superficial, sem ter vivido de perto nenhuma de sua história?

É preciso exercitar a empatia, colocando-se no lugar do outro, entendendo-o antes de criticá-lo, porque isso dói!, traz consciência de que, muitas vezes, estamos sendo injustos com quem apenas necessita de apoio, de uma palavra de conforto de um ombro amigo e de um abraço.


Eu saí de uma cidade pequena e vim de mudança à Campinas, longe de minha família, sem conhecer niguém. Quem vive essa vida sabe o quanto amadurecemos, porque é difícil! doí a saudade da família e dos amigos que deixamos. Deixei a minha  profissão que não condizia  nada comigo, batalhei, estudei e continuo estudando muito! criei um blog  e hoje tiro fotos, escrevo sobre moda e o universo feminino e posso dizer que apesar de inúmeros elogios, eu também recebo inúmeras criticas e prejulgamentos maldosos. Por que praticar o ato e mais fácil do que conhecer a minha história?
A pratica de atitudes extremas  são tomadas  por pessoas  mesquinhas, que acham que tem o direito de apontar o dedo para o outro.
 As vezes as pessoas falam coisas que sinceramente eu queria "ser", ou "sentir" rs, não tiro fotos porque estou me achando "a bonita",  porque eu acredito que "ser bonita" é uma questão de estado de espírito, eu não fico  meu dia - dia com roupas que posto em look, porque eu prefiro mesmo uma boa calça jeans e sapatilha...  corro dali e daqui  e meu mundinho não é apenas as redes sociais... que tal julgar menos? que tal saber da história antes de colocar o seu preconceito? ou vocês acreditam que preconceito é apenas na cor e de gênero?. Ah que engano!.... "julgamos" aquilo que os olhos querem ver. Portanto, vamos praticar um pouco mais de empatia, colocando -se no lugar do outro.

 Não permita que ninguém o julgue sem ter vivido a sua história, sem ter compartilhado nada com você, sem nunca ter perguntado se precisava de algo.Ignore quem ataca sem entender, quem julga sem conhecer, quem fofoca sem saber, porque a maioria das pessoas só estão preocupada com o que acham serem erros alheios que poderiam ser evitados, embora elas próprias errem e tentem se esconder, apontando o dedo para fora de si. Afinal, ninguém conseguirá ser tão implacável quanto a nossa própria consciência.

(Autora: a blogueira) Imagem de autoria livre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário