Veda # 5 Bahia A tocha Olímpica Rio 2016

 

  Olá leitoras QUERIDASSSS!!! segue o quinto dia de VEDA - Tocha Olímpica. Apesar de toda crise política e econômica. Amo o Brasil!!! lugares lindos, pessoas receptíveis. Um país de pessoas guerreiras e batalhadoras. Que muito embora as vezes ficamos decepcionados.
“Que nunca percamos a fé,que não tenhamos preguiça de viver, que tudo comece a dar certo, que a alegria predomine,que a paz tome conta de todos nós!” ― Paz de Jah
  Acredito um dia teremos um país melhor!!! Segue hoje o percurso da Tocha Olímpica, onde passou na Bahia por coincidência e sorte minha em estar neste dia tão especial.
  A tocha olímpica é um importante símbolo olímpico e sua origem é da Grécia Antiga, onde o fogo era mantido por toda a celebração dos Jogos Olímpicos da Antiguidade. Na atualidade, em cada edição olímpica, a tocha é acesa meses antes do início, no local dos Jogos Olímpicos da Antiguidade, nas ruínas de Olímpia e segue para o país-sede e circula pelas cidades em forma de revezamento até um dia antes da cerimônia de abertura dos jogos.
Fogo olímpico
Os gregos fizeram seus primeiros Jogos Olímpicos em 776 A.C, onde a cada quatro anos, honravam a Zeus e a outras divindades. As competições marcaram um período de paz em meio às constantes guerras.
Diz a lenda que Prometeu teria roubado o fogo de Zeus para o entregar aos mortais e para celebrar a passagem do fogo de Prometeu ao homem, os gregos faziam corridas de revezamento. Os atletas passavam a tocha entre si até que o vencedor cruzasse a linha de chegada. Durante a celebração dos Jogos Olímpicos antigos, em Olímpia, mantinha-se aceso um fogo que ardia enquanto durassem as competições. Esta tradição voltou nos Jogos Olímpicos de Amesterdã 1928.
O fogo possui um significado divino para muitos povos, incluindo os gregos e estava presente nos santuários de Olímpia e em honra a Zeus. Durante os Jogos Olímpicos da Antiguidade fogos adicionais eram acesos no seu templo e no de sua mulher, Hera. A tocha olímpica moderna é acessa nas ruínas onde costumava ficar o templo de Hera.
Os gregos pararam de organizar os Jogos Olímpicos por cerca de mil anos, retornando em 1896, em Atenas.
Era moderna: revezamento da tocha olímpica
    Esse sistema de revezamento: acendimento da tocha em Olímpia para depois seguir ao país-sede, passando por várias cidades, teve início nos Jogos Olímpicos de Berlim 1936 e pode ser transportada de várias formas: em terra, mar e ar. O acendimento da pira olímpica após o revezamento é um dos pontos mais emocionantes de uma Olimpíada e a cada edição, o país-sede busca inovar a ideia. Esse toque de originalidade começou com os espanhóis em Barcelona 1992, quando um arqueiro disparando flecha com o fogo olímpico acendeu a pira. Mas segundo uma filmagem amadora, a flecha passou pela pira, que foi acendida por um dispositivo automático – mas mesmo assim, uma inovação que surpreende o público em cada olimpíada realizada.
  Espero que vcs tenham gostado, da pesquisa que eu fiz, pois alguns acham que é apenas um foguinho, mas seu significado o torna mágico e empolgante! Bora lá assistir!!! Bjim fkm com Deus, bom feriado a todas vcs!!!
           Inscreva-se no canal e  deixe seu like!

Canção do exílio
(Gonçalves Dias)

Minha terra tem palmeiras
Onde canta o Sabiá,
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar — sozinho, à noite —
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Cinco estrelas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. Coleção Literatura em Minha Casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário